Depressão em jovens cristãos: o caso Karol Eller


A depressão em jovens cristãos é um problema de saúde pública que precisa ser olhado com atenção. 

Ela fica ainda mais latente quando acompanhada da chamada disforia de gênero, quando há um conflito na visão desse jovem sobre a sua sexualidade. 

Na última quinta-feira, a jovem influenciadora Karol Eller, de apenas 36 anos, foi encontrada morta em casa.

Nas redes sociais, ela publicou um post indicando seu suicídio: 

Me perdoem por causar toda essa dor aos que me amam. Se cuidem por aqui. 

Há cerca de um mês, Karol havia postado sobre sua conversão e renúncia ao lesbianismo. 

Esse tipo de conflito de identidade é um gatilho gigantesco para a depressão em jovens cristãos. 

E não apenas entre jovens cristãos. Muitos jovens vivem uma grande crise de valores, de auto aceitação e de propósito. 

Esse tipo de situação gera uma série de especulações que ampliam ainda mais a polarização das visões sobre a homossexualidade, principalmente no meio cristão. 

Alguns vão, indevidamente, apontar a culpa no que a mídia chama de "cura gay".

O fato é que não adianta buscar culpa ou culpados em meio à dor. 
O fundamental é enxergar fatos como esse como oportunidade para buscar a melhor forma de tratar a questão. 

Porque não adianta tentar empurrar os fatos para debaixo do tapete.
Esse é um problema muito presente no mundo e por seguinte também na igreja. 

Buscar sinais de depressão em jovens cristãos


Uma boa atitude no trato da depressão é investir no cuidado da saúde mental dos jovens cristãos. 

É lidar claramente e de forma madura com esse problema.

Nada de pensar que o crente se torna um super-herói ao aceitar Jesus e que depressão é defeito de fabricação de cristão.
  
A depressão em jovens cristãos precisa ser tratada com sabedoria e discernimento por parte da liderança e, para isso, é importante que esses líderes se qualifiquem constantemente para fazer frente a essas novas questões. 

Afinal é importante que os filhos de Deus tenham socorro além da visão humanista sobre a área da saúde mental. 

A igreja precisa ser aliada das famílias e dos métodos utilizados para tratamento dos muitos distúrbios dos dias de hoje. 

A prevenção sempre será o melhor remédio e a saúde mental também pode e deve ser tratada de forma preventiva. 



Quem foi Karol Eller


Karol Eller foi uma jovem que tornou-se influenciadora nas redes sociais diante do seu engajamento e posição política alinhada à direita, o que lhe dava um destacado diferencial.
 
Ela possuía mais 670 mil seguidores no Instagram e atuava com muitos posicionamentos conservadores e de direita. 

Karol também havia neste ano se filiado ao PL possivelmente com vistas à disputa nas próximas eleições. 

O sobrenome Eller indica um parentesco com a cantora Cássia Eller, que de fato existe: era prima de terceiro grau da cantora. 

No último mês de setembro participou de um retiro espiritual, ocasião em que anunciou, publicamente, a renúncia ao lesbianismo.
Antes de se tornar influenciadora de direita, Karol trabalhou com eventos e mostrava na internet como era viver nos Estados Unidos.
 
Infelizmente, Karol Eller foi embora muito cedo e posso considerar até uma covardia especular sobre as razões de seu suicídio. 

Mas acho importante aproveitar esse fato tão triste para as famílias e todos os cristãos pelo mundo para ampliar o alerta sobre o cuidado da saúde mental nas igrejas. 

Afinal, todos nós queremos prevenir a depressão entre jovens cristãos nos dias de hoje. 

Até o próximo post. 

Comente

Não deixe passar em branco

Postagem Anterior Próxima Postagem