Quatro razões para o crente pensar bem antes de curtir (ou de desistir d)as férias na praia

Para mais conteúdo: Canal no Youtube / Facebook / Twitter / Instagram

Crente pode ir à praia? 

Uma das dúvidas relacionadas às viagens mais comuns na cabeça de muitos casais cristãos é sobre os locais para desfrutarem as merecidas férias. Os locais com praia são os mais procurados, mas também os mais questionados. A exposição de mulheres e homens com sungas e biquínis minúsculos nestes locais é o maior motivo de reclamações.

Os críticos certamente vão afirmar que isso é exagero. Que o cristão não pode enclausurar-se e fugir do mundo, etc. Alguns vão dizer que a maldade está no olho de quem vê. Outros vão falar que o crente precisa orar mais porque está muito carnal. No texto sobre academia, a postagem neste blog recebeu muitas críticas por conta das reflexões expostas. É um tema que sempre gera bons debates. Não por acaso, foi a mais lida e comentada neste blog.

Reconheço que o tema é polêmico e até por isso trago esse tipo de reflexão novamente  para o blog. Numa postagem anterior a essa (Chamado para a sensatez), minimizei esse tipo de discussão, mas hoje acho importante jogar luz ao debate, de uma forma madura e buscando embasamento bíblico. Afinal, o cristão vive neste mundo e precisa debater questões presentes no dia a dia. E férias certamente é algo muito importante para o cristão.

Mas, voltando ao tema, o crente pode/deve curtir suas férias na praia? A resposta mais óbvia e politicamente correta é que pode, logicamente. Mas será se deve? Não sou louco de afirmar taxativamente nem que sim e nem que não. Porém, acho pertinente pensar sobre o assunto. Por isso, neste texto apresento algumas razões para o crente pensar bem antes de curtir ou de desistir das férias na praia. Que fique bem claro que não pretendo defender uma opinião fechada sobre o tema, mas apresentar ponderações sobre os pontos de vista.

1) Praia é um lugar lindo criado por Deus

Praias foram criadas por Deus
As praias são maravilhas da criação de Deus
O primeiro ponto a ser observado é que a praia é obra da criação de Deus. É um lugar maravilhoso. Não há pecado em ir à praia. O pecado não está na praia, mas dentro cada um, dos seus pensamentos e das suas atitudes. Logo, neste ponto de vista, o crente pode e deve ir à praia sem o menor problema. O lazer é saudável e regenera relacionamentos, faz bem ao templo do Espírito Santo que é o nosso corpo. 

2) Sensualidade está em carne viva em algumas praias 

Outro ponto a ser levado em conta é o fato de muitas praias serem locais onde a sensualidade é extremamente presente. Não adianta os "santarrões evoluídos" afirmarem que não vêm problema e que nem notam que muitas mulheres estão seminuas nestes locais. 

É uma questão polêmica, mas não é algo que determine o impedimento da ida de um crente às praias de um modo geral. Acho que o ponto precisa ser muito bem discutido pelo casal. Uma das soluções pode vir do fato de os dois escolherem um local menos movimentado ou uma época do ano de baixa estação para minimizar o problema. 

O importante é que a situação fique confortável para os dois. Nada pior do que um momento de lazer virar um "climão" por causa de ciúmes ou algo do tipo. E não adianta os "santarrões" afirmarem que ciúme é coisa do diabo. Estou falando de relacionamentos reais e não de "aparências" que muitos tentam estampar, geralmente sem convencer.



3) Deixar de frequentar praias não acaba com o problema da sensualidade 

Não é deixando de frequentar locais como as praias que vai acabar com o problema da sensualidade. Certamente o crente precisa encontrar um jeito saudável de se relacionar com o mundo. Não adianta sair correndo e virar as costas para a realidade. Seja na praia, na televisão, no cinema, na internet, a promiscuidade está aí e cada vez mais faz parte da cultura deste mundo. 

O cristão precisa ser honesto consigo mesmo e passar ao largo dessas coisas sem precisar abrir mão de prazeres como praia, televisão, cinema ou internet.  Mas se isso ainda for problema para o crente e ele sentir dificuldade com essas coisas é melhor abrir mão de tudo isso mesmo. A consciência precisa falar mais alto.
"E se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o. É melhor entrar no Reino de Deus com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no inferno",
Marcos 9:47

4) O Espírito Santo fala com você 

Crente tem liberdade de consciência
O Espírito Santo nos permite entender as Escrituras
O ponto fundamental de toda essa discussão é que o crente verdadeiro tem o Espírito Santo e ele acusa a nossa consciência.
Mas vocês têm uma unção que procede do Santo, e todos vocês têm conhecimento
1 João 2:20 
Logo, o mais importante é orar a Deus em todas as situações e estar sensível para as respostas. A praia não é problema, mas para algumas pessoas o ambiente não faz bem. É de conhecimento público os males da pornografia e muitos crentes também sofreram deste mal. Mesmo restaurados, algumas imagens ainda lhe fazem mal. É como o álcool para alguns que tiveram problema sério com a bebida.

Por isso, vejo que não há certo ou errado nem no ir ou no não ir para a praia. Ninguém é mais ou menos crente porque vai ou deixa de ir para esses locais. Acho importante a leitura de Romanos 14 com bastante atenção para extrair as lições daquele capítulo. Os dois pontos de vistas são corretos diante de Deus, o importante é observar a consciência de cada um. Nós precisamos é parar de julgar os outros segundo os nossos pontos de vista. Para finalizar, dois versículos de Romanos 14 que resumem muito bem o argumento.
Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão.
Romanos 14:13 
Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova.
Romanos 14:22

Um vídeo cômico sobre o tema para descontrair...



Comente

Não deixe passar em branco

Postagem Anterior Próxima Postagem