Cantores seculares na música gospel...e não é de hoje...veja 10 exemplos

 

Muita gente virou os olhos com o anúncio de que o cantor Luciano Camargo da dupla sertaneja com o Zezé está finalizando um disco gospel, atendendo, segundo ele, um pedido feito por sua mãe há alguns anos. A previsão é de que o álbum gospel do Luciano será lançado no dia 16 de outubro nas plataformas digitais. "Eu me submeto e me rendo ao teu querer, faça tua vontade, eu me entrego a você cumpra em mim teus planos teus sonhos agora são os meus me toma em teus braços eu te amo Deus", escreveu na legenda da foto publicada no seu Instagram no fim desta semana. 

Não questiono a motivação do cantor para lançar esse disco. Glória a Deus por isso!!! A Palavra não volta vazia e até a legenda do cantor é evangelística. Lembro sempre do texto de Paulo comemorando a multiplicação de pregadores em decorrência de seu infortúnio, mesmo afirmando que alguns pregavam motivados por ambição egoísta e com inveja. 

Mas, que importa? O importante é que de qualquer forma, seja por motivos falsos ou verdadeiros, Cristo está sendo pregado, e por isso me alegro. De fato, continuarei a alegrar-me, (Filipenses 1:18)

 


O "segunda voz" da família Camargo não é o único cantor secular a tomar decisão parecida de enveredar pela música gospel. Esse tipo de situação é bastante comum, tanto no Brasil como no mundo. A maioria, é verdade, toma uma decisão de mudança completa após conversão abrindo mão do seu passado no mundo. A seguir, veja alguns exemplos, tanto no Brasil como no exterior: 


Nelson Ned, o pequeno gigante da canção

O exemplo mais conhecido no Brasil talvez seja o do cantor Nelson Ned, que fez muito sucesso nos anos 70 e 80, mas que iniciou uma bem-sucedida carreira gospel nos anos 90 após sua conversão.  O cantor lançou cinco álbuns cristãos em estúdio, além de outros em espanhol e participou de diversas coletâneas. 


Rodolfo Abrantes, ex-Raimundos

Rodolfo Abrantes fez muito sucesso nos anos 90 com a banda Raimundos, mas deixou tudo para seguir uma nova vida e montar uma nova banda gospel. Rodolfo lançou quatro álbuns solo mantendo a pegada rock e continua levando a Palavra de Deus Brasil a fora e contando o seu testemunho. 


Jessé, veleiro repousado

O cantor Jessé fez muito sucesso nos anos 80 depois de ser premiado como melhor intérprete no Festival MPB Shell 1980 com a música Porto Solidão. Gravou no total 12 discos e teve a carreira interrompida aos 40 anos, no dia 29 de março de 1993, com a morte num acidente de automóvel. De família cristã, da tradição presbiteriana, Jessé gravou em 1985 o disco Ao Meu Pai, com canções clássicas do Cantor Cristão e conhecidos corinhos da tradição evangélica. Jessé disse que o disco foi uma homenagem ao seu pai que lhe ensinou a cantar os hinos que tinha vergonha de mostrar para as pessoas na igreja . "Pai, foi com você que aprendi a cantar e pela música que você me ensinou eu falava com Deus", disse o cantor na contracapa do disco.


Lázaro, o irmão

O cantor Lázaro, ex-Olodum, é outro exemplo de cantor secular que deixou tudo para trás ao mergulhar vida cristã. Na música cristã, Irmão Lázaro lançou 14 discos desde o ano 2000. Ele também exerceu mandato de deputado federal entre 2015 e 2019 e integrou a chamada bancada evangélica. 


Waguinho, o pagodeiro de Jesus

Waguinho fez parte do grupo Os Morenos de 1994 a 2001 e participou da grande onda de sucesso do pagode romântico no Brasil. Em 2003, o cantor se converteu à Assembleia de Deus dos Últimos Dias, presidida pelo Pastor Marcos Pereira da Silva. Ele torna-se evangelista e cantor gospel. Em 2005, o cantor lançou seu primeiro álbum gospel "O Chamado", pelo qual ganhou um disco de ouro. Waguinho agora está na Assembleia de Deus Vitória em Cristo, do pastor Silas Malafaia. 


Regis Danese e o hit 'milagroso'

Regis Danese fez backing-vocal no grupo de pagode Só Pra Contrariar onde ficou durante cinco anos e compôs algumas canções para o grupo. Também compôs canções que ficaram famosas na voz de Daniel e Leandro e Leonardo, dentre outros cantores. Após a conversão ao cristianismo tornou-se cantor gospel e no segundo disco, "Compromisso", em 2008, apresentou a canção "Faz um milagre em mim" que fez sucesso muito além do cenário gospel.  

     Bob Dylan faz sermão em show em 1980

Bob Dylan, the tambourine man

O caso mais conhecido no exterior talvez tenha sido o do cantor Bob Dylan que tornou-se cristão e lançou entre os anos de 1979 e 1981 três álbuns gospel que foram marcantes em sua carreira (“Slow Train Coming” (1979), “Saved” (1980) e “Shot of Love” (1981). Sabemos que logo depois ele deixou de fora a temática cristã. Mas no período dos álbuns cristãos, Dylan era um fervoroso pregador durante suas apresentações, apesar de alguns questionarem a fidelidade bíblica em sua argumentação. Mas no fundamento ele acertou em sua pregação: "Não estamos falando sobre' religião '. Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida".


Jeff Beck, the guitar man

O guitarrista norte-americano Jeff Back gravou em parceria com Rod Stewart (ex-integrante do Jeff Beck Group) a música People Get Ready, um single de 1965 da banda The Impressions, composta por Curtis Mayfield, que tornou-se um clássico do rocknroll tendo sido gravado por outros cantores e grupos importantes da música mundial. Ele foi gravada até pela banda gospel brasileira Oficina G3. Amúsica foi gravada na parceria Beck/Stewart em dois álbuns na discografia do guitarrista: No Ready Made Guys (Live 1984) - em parceria com Rod Stewart e Flash, de 1985. A letra da música é totalmente evangelística: fala que devemos nos preparar para embarcar num trem e tudo que precisamos é de fé (Faith is the key) porque não há como se esconder do Trono do Rei. Oh Glória!!!!!


The Byrds

O grupo norte-americano de country-rock também lançou no fim dos anos 60 um disco (The Christian Life) com canções clássicas do cancioneiro evangélico. 


Johnny Cash

Há casos de artistas que trocaram o gospel pelo estrelato fora da igreja, mas depois voltaram e abraçaram as raízes de sua igreja mais tarde na vida. Um excelente exemplo desse tipo de renovação espiritual e musical é o de Johnny Cash. Conhecido como homem de preto, Cash entrou para o Hall da Fama da Música Gospel norte-americano, em 2010. Cash morreu em 2003. Sua amizade com Billy Graham levou à produção de um filme sobre a vida de Jesus chamado The Gospel Road, que Cash co-escreveu e narrou nos anos 70.

Outros casos

Nos EUA, Kandi Burruss lançou música gospel no início dos anos 2000 e gerou grande controvérsia nos Estados Unidos porque a cantora, além de atuar na TV e na música secular, também possuía uma empresas de brinquedos sexuais a Bedroom Kandi. 

No Brasil, a funkeira Perla também deixou a música secular por um breve tempo para se aventurar no gospel. Pouco tempo depois, voltou para o funk, agora sem o mesmo sucesso. 

O vocalista da banda Roupa Nova Serginho Herval também gravou músicas com conteúdo gospel e prometeu em seu canal no Youtube um lançamento em breve na pegada gospel.

Não podemos deixar de lembrar também de muitos casos de cantores que começaram na igreja e migraram para o secular como Elvis Presley, Stevie Wonder, Whitney Houston, James Brown, Ray Charles, Katy Perry, Britney Spears e Chris Martin, além da cantora Isa e do cantor Di Ferrero, no Brasil.

3 Comentários

Não deixe passar em branco

  1. Parabéns!!!! Excelente conteúdo...continue

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Valeu Thiago seu comentário é um bálsamo e um refrigério. Grande abraço!!!!

      Excluir

Postar um comentário

Não deixe passar em branco

Postagem Anterior Próxima Postagem