Relativização do aborto compromete ainda mais indicação de Kassio Marques ao STF

 


A indicação de Bolsonaro para o STF continua a reverberar entre os conservadores, com novas revelações sobre o pensamento do indicado Kassio Nunes Marques sobre temas cruciais para muitos dos eleitores do presidente. A revelação sobre uma tese em que relativiza sua posição sobre o aborto surgiu como um galão de gasolina na fogueira. 

A questão não é mais sobre se o presidente menospreza o apoio evangélico ao seu governo. A questão é que o presidente não pode relativizar sobre temas que são sua bandeira e sustentam o apoio recebido pelos evangélicos e pelos conservadores brasileiros. 

A deputada estadual por São Paulo Janaína Paschoal foi um das que engrossaram a reflexão sobre a escolha do presidente. 



 


Magno Malta foi outro Bolsonarista que criticou a escolha do presidente, mesmo mantendo o apoio ao seu governo. Magno Malta foi peça importante na campanha do presidente tendo participado muito ativamente da caminhada até a posse de Bolsonaro, quando perdeu espaço no seus staff. Magno mostra inclusive vídeos do presidente enfatizando sua postura Pro Vida e contra o aborto. 



 

Já o pastor Silas Malafaia gravou um novo vídeo explicando que líderes evangélicos haviam apresentado ao presidente uma lista tríplice com nomes apoiados para a vaga no STF, mas que o presidente teria dito que essa vaga seria para algum de confiança dele. Segundo Malafia, mais do que alguém terrivelmente evangélico, o povo brasileiro exige no STF alguém com os valores que levaram o presidente ao comando do país. 




 

Comente

Não deixe passar em branco

Postagem Anterior Próxima Postagem